domingo, junho 26, 2005

Air - "I like the way you look tonight"
Bill Nelson - "Empire of the senses"


Mental note: reencontrar Bill Nelson (estes títulos estavam quase irremediavelmente perdidos na minha cabeça: "Chimera", "The Love That Whirls (Diary Of A Thinking Heart)". Será "Eros arriving" uma das que ando à procura? Ouvi há tanto tempo na rádio...)

No carro, sob uma Lua enevoada que parecia Saturno:

Jam - "That's entertainment"
Morrisey - "That's entertainment"
New Musik - "Luxury"
Tubeway Army - "Are 'friends' electric?"
Love and Rockets - "Earth Sun Moon"
Lou Reed - "Modern Dance"
Air - "How does it make you feel?"
Air - "Sex Born Poison"

terça-feira, junho 21, 2005

Howard Devoto - "Some will pay (for what others pay to avoid)"
(em boa verdade, ainda não ouvi - estou a fazer o download da Íntima Fracção de 12/13 de Junho... Excelente lembrança, IF - não ouço esta há décadas...)

segunda-feira, junho 20, 2005

Julian Cope - "Sunspots"
Julian Cope - "The greatness and perfection of love"
Michael Nyman - "Bird list"
The Dandy Warhols - "Sleep"
(if I could sleep forever...)
John Cale - "Andalucia"
John Cale - "Paris 1919"
Radiohead - "Morning bell"
Radiohead - "Pyramid song"
Eels - "Electro-shock blues"
Stone Roses - "Waterfall"
Triffids - "Bury me deep in love"

"My world is very beautiful today": ouvi de novo, passados tantos anos, "Head Hang Low" de Julian Cope. Melhor do que descobrir uma serendipidade é rencontrá-la de vez em quando, quando estava quase perdida...

sábado, junho 11, 2005

quarta-feira, junho 08, 2005

New Song

"Cruise Speed".

Desimportantizar é preciso

Tenho necessidade de não me levar muito a sério. É uma terapia pessoal, que permite que eu me liberte de eventuais manias das grandezas e do stress e da responsabilidade de tentar não defraudar espectativas demasiado elevadas. Sou e serei um amador.

Quando procuro imaginar o que vão pensar as pessoas que ouvirem a música que vou deixar a seguir ("será que vão gostar?"), surge a tentativa de perfeccionismo e tudo se complica: vou apagar aqui, melhorar ali, corrigir isto, etc etc. Parece trabalho e não prazer. Nah. Tudo volta a ser simples se eu libertar a música quando me apetecer, no estado em que estiver. Quando e se puder, melhoro. Se não der, paciência, talvez outros possam (continua tudo disponível para quem quiser brincar). O melhor é não ter espectativas, ponto final.

[A punchline deste post era muito boa mas foi censurada pelo autor.]