segunda-feira, novembro 08, 2010

Alzheimer

Estive a ouvir algumas das últimas músicas que publiquei. Pelo título, não sei bem dizer qual é qual. Ouvindo, descubro-as, pois já não me lembrava delas. Ao longo de uma música, vou tentando prever o que acontece a seguir e não me lembro. Surpreendo-me, o que é bom, mas... que raio de autor sou eu, que já não conhece a sua obra? Estará assim tão adiantada a minha doença daquele senhor de origem árabe (começa por "Al")?

Intentions...

De boas intenções está o inferno cheio. Este blogger tem a boa intenção de fazer música, "na brincadeira", para toda a vida. Sem stress e sem ambição. Partilhando com quem quiser, porque a tecnologia o permite, mas na realidade de forma egoísta pois tudo parte da satisfação de uma necessidade pessoal. Preciso de ouvir música e gosto de procurá-la em sítios esquisitos. Experimentando com muita preguiça. Dá-me prazer.

Estes últimos tempos têm sido de silêncio por várias razões. Estive longe. Quando estava perto e tinha o sintetizador, ele avariou ou quando estava bom não lhe podia tocar. Foi necessário muito tempo para outras coisas, muita coisa mudou. Agora está tudo quase normal, mas ainda não consegui voltar a por o computador a receber o que vem do sintetizador. Damn software. Espero que em breve o blog volte a dar música, é uma boa intenção.

E talvez gradualmente vá introduzindo alguma intenção nas músicas. Essa é uma das tensões que define este blog: quanto devo usar de intenção e quanto de acaso/erro (que dá liberdade)? Sei que não quero "intencionar" demais: a minha vontade tende a estragar tudo. Mas tenho cada vez mais vontade de usar a minha vontade. Principalmente, tenho vontade de investir nisto um pouco mais de esforço do que o que tenho feito até agora: "seize the day", "life is hard and then you die".

Mas não sei se vou ter tempo: essa é a maior tensão de todas. A música não é tudo.

quinta-feira, setembro 16, 2010

segunda-feira, setembro 06, 2010

Discos perdidos


Bill Nelson. Este é um disco que procuro literalmente há décadas. Nos anos 80, perguntei por ele numa discoteca e pensaram que eu queria dizer Willie Nelson. Nos anos 90, várias tentativas de o encontrar saíram frustadas. Esta década procurei na Amazon, CDnow e nada. Hoje, encontrei finalmente a música que insistentemente durante todo este tempo repeti na minha cabeça para não me esquecer (teria sido mais fácil ter repetido apenas o título, mas não daria o mesmo gozo e nem sempre na rádio dizem os títulos das músicas...). Mas aqui está, graças ao bendito Youtube. Será que passados 30 anos vou finalmente conhecer todo o álbum?! ("For future reference", não vá o diabo tecê-las, irei acrescentar aqui mais links deste desconhecido (também para mim!) album: 1 2 3)

domingo, janeiro 31, 2010



Colors of the World

Blue could be a winter coat
or the sea, Lake Maureen, a window
or a downpour on my street.
This bit of yellow could be a leaf
or a beam of light, a girl in a taxi.

And I think of you in the colors of the world.
And I did meet you in the brotherhood of man
when I was traveling a long way from my home
and you are a friend of mine.

Black is the piano you play at school in the lobby,
looking out at the gray and orange,
green grass on your feet.

And I think of you in the colors of the world.
And I did meet you in the brotherhood of man
when I was traveling a long way from my home
and you are a friend of mine.

quarta-feira, janeiro 20, 2010

E só...

... para mostrar que este blog não muda, aqui fica mais Sufjan... (não sei linkar a música, mas leiam o texto desta página e procurem no final...)

Pobre coitado...

...deste blog. Parou no tempo desde Setembro. E já há quase um ano que não sai uma música nova. Ena pá.
Desculpem, isto não era para ser assim. Ainda vai demorar alguns meses para voltar à produção, mas há-de chegar o tempo.
E as teias de aranha, tão apropriado. Mas ai chel return! Ai Heidi Heidi!