quinta-feira, julho 31, 2003

quarta-feira, julho 30, 2003

O que vai ser este blogue - II

No post anterior eu disse diário? Não, isto não vai ser um diário, tenho mais que fazer. Serão umas crónicas da minha ignorância musical, irregularmente espaçadas no tempo.

O que vai ser este blogue

Ainda não sei, mas penso que será uma espécie de diário das descobertas que uma qualquer pessoa sem conhecimentos musicais pode fazer se se aventurar no moderno mundo da música. É mirabolante o que qualquer pessoa hoje em dia pode fazer com os instrumentos electrónicos e a Internet.

Por exemplo, com um sintetizador qualquer pessoa cria em minutos uma música com orquestra completa, ritmos, floreados, etc. Com a internet distribui-se a música em menos de um dia por pessoas no mundo inteiro. Tudo isto à borla. Indústria discográfica para quê?

Também espero informar aqui sobre os novos mp3 que deixe na net, alertar para grupos que ache interesantes e outras trivialidades. Logo se verá.

A internet

A internet permite-me partilhar os sons que faço (ainda não lhes consigo chamar "canções" ou "música"). Não que eu tenha ilusões: o que eu faço não interessa a quase ninguém. Porém, isso não significa que não se possa deixar os outros ouvirem, se eles quiserem. Por isso, deixo tudo de graça em sites na internet para quem estiver interessado/curioso. Basta clicar na imagem do lado direito.

Vamos a isto

Então aqui vai: comprei há uns meses atrás um sintetizador. O meu primeiro e único. Nunca toquei ao vivo nem me interessa vir a tocar. Apenas o comprei porque sempre me agradou experimentar sons, para uso exclusivamente pessoal. Não quero ganhar dinheiro com a música, quero apenas ouvir e criar.

Não tenho especial talento para tocar música. Nunca tive aulas de piano nem sei solfejo. Aprendi a tocar umas coisecas por mim, num piano que havia em casa dos meus pais. Tive umas poucas aulas de viola, mas não tinha a autodisciplina necessária para praticar os exercícios e cedo desisti. Não tinha pachorra e/ou capacidade de memória para treinar uma música dezenas de vezes até deixar de me enganar. Mas admiro quem o consegue fazer.

O sintetizador parecia ser a ferramenta ideal: com ele pode-se apagar, acrescentar, editar todos os aspectos da música até ela ficar como queremos. É tolerante a falhas. E é um manancial de sons. Um achado para alguém como eu. No entanto, devo ser mesmo um caso perdido, porque ainda assim não tenho paciência para corrigir a maior parte dos enganos, falhas de ritmo, etc. Diga-se de passagem que também ainda não li os manuais o suficiente para o poder fazer. Lá chegaremos, talvez... Por fim, acho uma certa piada aos erros, ou talvez seja uma desculpa de mau pagador.

terça-feira, julho 29, 2003

Porque sim.

Porquê este blog? Porque me apeteceu. Mas também porque achei que poderia servir para alguma coisa, ainda não sei bem o quê. Talvez divulgar as minhas estranhas andanças pelo mundo da música. Eu, que não sou músico nem penso vir a ser... E no entanto, graças às novas tecnologias, criei uma banda ou qualquer coisa do género... Enfim, é esquisito. Aos poucos explicarei o que se passa. Essa é talvez a principal função deste blogue.

Porquê este blogue?

Sim, porquê?

segunda-feira, julho 28, 2003

No princípio faltava o verbo

Não sei o que me deu na cabeça para começar este blogue. E não sei porque é que estou a escrever isto, não me lembro de nada para dizer.